1ª Quinzena Gastronómica do Porco

http://picasion.com/

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Cerimónia do Juramento de Bandeira do Curso de Formação de Guardas

A Guarda Nacional Republicana (GNR) realiza amanhã, dia 24 de Fevereiro, pelas 11h20, no Centro de Formação de Portalegre da GNR, a Cerimónia do Juramento de Bandeira dos formandos do Curso de Formação de Guardas 2016/2017, a qual será presidida pelo secretario de estado da Administração Interna, Dr. Jorge Gomes.
Vão realizar o seu juramento em cerimónia pública, perante a Bandeira Nacional, 138 guardas provisórios (109 homens e 29 mulheres).

Amanhã o Carnaval sai às ruas da Vila de Arronches

O Município de Arronches em conjunto com o Agrupamento de Escolas, Academia Sénior e Centro de Bem Estar Social, levam a efeito um Desfile de Carnaval sob o tema "Era uma vez... (Plano Nacional de Leitura e que vai agrupar crianças do ensino do A.E.A, elementos da Academia e utentes da IPSS.
O desfile terá inicio amanhã às 14h30, com o percurso pela Rua do Telheiro (Centro Escolar), Rua Dr. Edmundo Curvelo, Praça da República, Rua de Olivença, Rua Movimento das Forças Armadas,regressando pela rua Dr. Edmundo Curvelo rumo ao Centro Escolar.

Assembleia Municipal de Arronches - Eleição do novo Presidente da Mesa da Assembleia por empate na votação, eventualmente só será resolvida com intervenção do Tribunal Administrativo

- A actual constituição da Mesa da Assembleia, tal como o Partido Socialista pretende -
A 1ª Sessão Ordinária de 2017 da Assembleia Municipal de Arronches, por falecimento do Presidente Abílio Panasco, foi dirigida pela 1ª Secretária Maria Emília Costa (PS). Foi uma sessão atribulada que se arrastou ao longo de três horas com constantes e repetidas votações, porque neste momento as bancadas do PSD e do PS contam cada uma, com nove Deputados Municipais, o que leva a este e outros impasses, como se viria a verificar ao longo da Sessão.
Para além dos assuntos embora importantes, mas de menor relevância que foram debatidos, realçamos o minuto de silêncio que foi observado, proposto

por Luís Ramalho do PSD a titulo pessoal, e a Nota de Pesar apresentada pelo PSD, em memória do falecido Presidente. Ambas as situações aprovadas por unanimidade.
Com esta nova situação, o Partido Socialista defendeu que a presidência da Mesa da Assembleia, deve ser ocupada pela 1ª Secretária Maria Emília Costa e, consubstanciam a sua legitimidade, reportando-se ao acórdão do Tribunal Administrativo e Fiscal de Castelo Branco, quando após as eleições foi constituída a Mesa e, que por decisão do Presidente, os lugares de 1º e 2ª Secretário pertenceriam ao PSD porque venceu as eleições. Ora o acórdão do T.A.F. de Castelo Branco, ditou que o lugar de 1º Secretário pertencia ao PS.
Entende por seu lado o PSD que esta é uma situação totalmente diferente da primeira constituição da Mesa, e respeitaram então a decisão do tribunal. Para os Sociais-democratas o que está agora em causa, é a eleição do cargo de Presidente que deve pertencer ao PSD, porque foi o partido mais votado nas últimas eleições. Alegando que continua a haver quórum porque nem a 1ª Secretária, nem a 2ª se demitiram dos seus cargos.
Perante este impasse (quando estamos a pouco mais de sete meses de eleições) no órgão autárquico da importância deste, o PSD pondera como fez o PS anteriormente, recorrer para o Tribunal.
Nota da Redacção - Esta noticia teve uma primeira edição em que atruibuimos o pedido de observar um minuto de silêncio por lapso ao PS, quando assim não foi na realidade. Pela "gralha" pedimos desculpa .F.N.Marques|Foto-N.A.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Rinaldo Nocentini (Sporting/Tavira venceu a 1ª etapa da 35ª Volta ao Alentejo, com passagem por Arronches

A partida simbólica para a primeira etapa da 35ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola, foi dada às 12 horas na Avenida da Liberdade, em Portalegre.
Alinharam 150 corredores para a etapa inaugural da 35ª edição da “Alentejana”, que ligou Portalegre a Castelo de Vide, numa extensão de 158 km com três Metas Volantes e quatro Prémios de Montanha.

Matteo Dal-Cin (Rally Cycling) e Sean Mckenna (An Post Chain Reaction), foram os primeiros protagonistas da fuga desta edição e que seria anulada ao Km 100.
A passagem por Arronches aconteceu cerca das 14 horas, vindo o pelotão pela estrada Monforte/Arronches e entrou na EN 246, com passagem pela rotunda do Assumar em direcção à EN371 para Portalegre.
Quem não assistiu à passagem da "Alentejana" neste dia, ainda terá a oportunidade de vê-la amanhã à partida em Monforte, na etapa que terminará em Portel. 

Rinaldo Nocentini (Sporting/Tavira) venceu em Castelo de Vide a 1ª etapa e foi o primeiro Camisola Amarela da 35ª Volta ao Alentejo-Crédito Agrícola, com passagem por Arronches. Em segundo Eduard Prades (Caja Rural-Seguros RGA) e em terceiro Carlos Barbero.



















(Movistar Team).

Partida simbólica para a primeira etapa da 35ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola, foi dada às 12 horas na Avenida da Liberdade, em Portalegre.

Alinharam 150 corredores para a etapa inaugural da 35ª edição da “Alentejana”, que ligou Portalegre a Castelo de Vide, numa extensão de 158 km com três Metas Volantes e quatro Prémios de Montanha.

Matteo Dal-Cin (Rally Cycling) e Sean Mckenna (An Post Chain Reaction), foram os primeiros protagonistas da fuga desta edição e que seria anulada ao Km 100.

A Volta ao Alentejo em bicicleta foi organizada pela Podium Events e pela Comunidade Inter-municipal do Alentejo Central (CIMAC)




Redacção|Fotos-N.A.

Aldeia Columbófila de Arronches no Distrito Portalegre

O jornal columbofilia online, esteve em Arronches para fazer uma reportagem sobre a "Aldeia Columbófila" de Arronches, Aqui deixamos aos nossos leitores um pequeno estrato dessa reportagem que pode ler na íntegra na internet.


"Uma aldeia columbofilia situada na vila de Arronches. Uma povoação com um enorme património cultural e Arqueológico. Ali podemos encontrar vários monumentos históricos, nomeadamente, Torres Medievais, vários panos amuralhados do século XVII, uma igreja Matriz Gótica e Manuelina bastante imponente, um castelo, um museu construído nos antigos salões do castelo que contem uma vasta colecção de brinquedos que têm atravessado várias épocas e dai o nome do espaço: Museu de (a) Brincar. Podemos também contemplar pinturas rupestres uma enorme barragem e uma gastronomia de invejar aos melhores chefes. Só para aguçar o apetite dos leitores, à chegada, degustámos um saboroso lacão no forno, com uma boa pinga ali mesmo no meio dos pombais que é onde columbófilos como eu se sentem bem, junto de pombos. O presidente da colectividade Luís Caixas, já esperava o columbofilia online e fez questão de o receber ao mais alto nível com a oferta de algumas lembranças da terra, do clube e também da Aldeia Columbófila. Obrigado."





Câmara Municipal de Arronches ofereceu hoje viatura ao Posto da GNR local

Depois de ter sido aprovado em reunião de Câmara de Câmara e após as imensas burocracias a que estas situações estão sujeitas, na manhã de hoje do dia 22, no Posto Territorial da GNR local, com a presença do Comandante do Comando Territorial de Portalegre, Joaquim Vivas, do Comandante do Posto Territorial de Elvas. Comandante do Posto Territorial de Arronches, autarcas, entidades civis e alguns populares, foi entregue a viatura Todo-o-Terreno da marca Mitsubishi a esta força militar, depois de assinado o protocolo entre a Presidente da Câmara Municipal de Arronches e a GNR na pessoa do Coronel Joaquim Vivas.
Como frisou a Presidente da Câmara de Arronches, esta foi uma cerimónia singela e que “apenas visou a constatação da degradação das viaturas do Posto de Arronches” e como tal estando a autarquia a par da realidade, sentiu que “temos a obrigação de agir”.(...)
O Coronel Joaquim Vivas depois de saudar todos os presentes frisou que era “com regozijo que estava hoje no Município de Arronches a receber uma viatura, mas mais do que receber uma viatura, é receber a atenção do Município para com os problemas da segurança e dos seus concidadãos”.
Recordou o responsável máximo pela GNR no distrito que, como tinha sido referido “o Município de Arronches é aquele que menor índice de criminalidade apresenta, se calhar no país, ou na Europa, mas isso não significa que a Guarda Nacional Republicana, aqui colocada, não tenha exactamente o mesmo sentimento de prestar um serviço aos seus concidadãos, com a tentativa de um serviço de excelência.”(...)
(Ler mais na edição em papel de Fevereiro)

Click nas imagens










terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Enquanto uns limpam...outros sujam

Não somos ingénuos ao ponto de acreditar que isto é pura coincidência. Sempre assim foi… e vai continuar a ser. A nível de governos antes de eleições são sempre as mais esperançosas promessas de um futuro melhor. Depois é o que se sabe, seja qual a força politica que ganhe...
A nível de eleições autárquicas e já estamos a poucos meses, é sempre ano de inaugurações, obras, etc. etc. Não podemos criticar, porque sempre assim foi e vai continuar a ser. Aqui não há "puritanos", mas ainda bem que assim é, porque temos a oportunidade de ver as nossas vilas e cidades com os buracos tapados, ruas pavimentadas e mais limpeza.
Ora Arronches não é excepção e temos verificado que há uma certa azáfama na limpeza. Só que infelizmente, enquanto uns limpam, há sempre outros que conspurcam as nossas ruas, ou outros locais…

 (A imagem não é agradável mas é realista )
Quem tem um cão, tem um animal que tem as suas necessidades fisiológicas mas, os donos, são os responsáveis por tudo aquilo que o animal faça, ainda por cima se for à frente do seu nariz. Devem retirar da via pública ou jardins, os "presentes" do seu fiel amigo.
Por acaso já me tocou a mim, pisar numa noite de Inverno o "presente" dum destes animais (quando me dirigia para o estacionamento pertença da Loja Coop aqui em Arronches) cujo dono tinha o dever de dar o exemplo. Isto porque me consta que o dono do dito, até é um ex-agente da autoridade.
É uma questão de civismo, uma questão de respeito pelo próximo. Os dejectos dos cães na relva do Jardim do Fosso por exemplo é, no mínimo, não ter respeito pelas crianças que para ali vão brincar e se sentam na relva. Vamos todos pensar nisto é ser um pouco mais civilizados.

35ª Volta ao Alentejo em Bicicleta - Arronches vai ver a "Alentejana" passar

A edição deste ano da ‘Alentejana’, tem como novidades o facto de ter subido de escalão na hierarquia da União Ciclista Internacional (UCI) e de se realizar mais cedo do que o habitual, apresentando um pelotão de 152 ciclistas de 19 equipas, a maioria estrangeiras.
O pelotão da ‘Alentejana’ vai contar com a participação de seis equipas portuguesas, todas do escalão continental (Sporting/Tavira, RP/Boavista, LA Alumínios–Metalusa, Efapel, Louletano–Hospital de Loulé e W52 FC Porto).
Com cinco etapas, num total de quase 900 quilómetros, a prova vai começar amanhã em Portalegre, estando a chegada da primeira etapa marcada para Castelo de Vide, naquele que é o percurso mais pequeno e mais difícil com quatro contagens de montanha.
A passagem por Arronches acontecerá amanhã entre as 13h30 e as 14 horas, vindo o pelotão pela estrada Monforte/Arronches e entra na EN 246, com passagem pela rotunda do Assumar em direcção à EN371 para Portalegre.
Quem não puder assistir à passagem da "Alentejana" neste horário, pode vê-la no dia seguinte à partida em Monforte, na etapa que terminará em Portel. Com habitualmente o N.A. vai colocá-lo a par de todas as etapas.
A Volta ao Alentejo em bicicleta é organizada pela Podium Events e pela Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC).(Foto-Arquivo)

domingo, 19 de fevereiro de 2017

DESPORTO - Resultados Futebol Distrital

O Futebol Clube Mosteirense venceu hoje, por 4-0, o derby concelhio em que defrontou o Sport Arronches e Benfica no Estádio Municipal "Francisco Palmeiro", no último jogo da 1ª Fase do Campeonato Distrital Sénior de Futebol.
O jogo foi arbitrado por Nelson Quintino, onde a superioridade da equipa Mosteirense foi evidente.
Foram marcadores dos golos do Mosteirense: Pacau, Rui Santos, António Pinheiro "Espanhol" e João Careto.
O Futebol Clube Mosteirense ao obter o 3º lugar da classificação com 33 pontos, passam à 2ª Fase do campeonato com 17 pontos.

Futsal - Campeonato Distrital Sénior - 1ª Fase
A Associação Terrimponente, deslocou-se a Sousel para defrontar a U.D. de Sousel "B" que venceu por 0-3. Arbitraram este jogo Carlos Sabino e Marta Correia.

Conferência do Professor António Ventura - A história da maçonaria com algumas referências a Monforte.


A Biblioteca Municipal de Monforte recebeu ontem à tarde, o Prof. Dr. António Ventura para uma conferência sobre a história da maçonaria e com algumas referências ao distrito de Portalegre, nomeadamente a 
Monforte.




António Adriano Pires Ventura, nasceu em Portalegre (1953), é Doutor em Letras (História Contemporânea) pela Universidade de Lisboa, Professor catedrático de nomeação definitiva do Departamento de História da Faculdade de Letras de Lisboa, Académico de Número da Academia Portuguesa da História e Académico Correspondente da Academia da Marinha.
Dirigiu ou colaborou em inúmeras publicações da sua especialidade, entre as quais A Cidade, Revista Cultural de Portalegre, na sua 2.ª série. Também dirigiu, em Portalegre, o Centro de Estudos José Régio.
Fez conferências e participou em congressos científicos em Espanha, França, Itália, Suíça, Estados Unidos da América, Canadá, Macau, China, Luxemburgo, Polónia, México, Bélgica e Rússia. Fez conferências ou participou em cursos nas Universidades de Toronto e de York (Toronto, Canadá), Extremadura, Complutense de Madrid, Córdova, Saragoça e Autónoma de Barcelona (Espanha), Brown e Dartmouth (USA), Lomonossov (Moscovo, Rússia), Pisa (Itália), Tlaxcala (México), Varsóvia (Polónia), Genéve (Suíça), Aix-Marselha (França), Universidade Livre de Bruxelas e Universidade de Antuérpia.
Em 2014 António Ventura publicou com a chancela do Circulo dos Leitores um livro (cerca de mil páginas) sobre a História da Maçonaria. Nessa ocasião o historiador referiu que: “a caminho de quase três séculos de Maçonaria em Portugal, a sua história confunde-se com a história do nosso país. Por entre anátemas e elogios cegos, importa desbravar a floresta de enganos, positivos e negativos, que rodeia a Maçonaria. Formada por homens, ela contém, como qualquer instituição humana, qualidades e defeitos, sombras e claridades, exemplos a apontar e erros a denunciar. Mas para tal é preciso conhecer.
Foi por aqui que o historiador começou a sua palestra. O desconhecimento da maçonaria, por ser tida como uma associação com um certo secretismos e que na comunicação social (dando como exemplos o “Tal & Qual”, Correia da Manhã ou a Revista Sábado) por desconhecimento dos autores dos artigos publicados ou por sensacionalismo, acabam por denegrir a imagem da Maçonaria. Já na parte final da sua conferência e interpelado pelo Notícias de Arronches, se esse facto não se deve à própria maçonaria por se ter fechado muito ao longo dos anos sobre sí própria, o que dá motivos a essa especulação. Frontalmente António Ventura admitiu que esse pode ser também um dos factores, até porque referiu no inicio da sua alocução, que há bom e maus elementos em todos os sectores da sociedade portuguesa, porque somos humanos, com todos os defeitos e virtudes.
O conferencista perante uma vasta plateia interessada em saber mais sobre a actividade maçónica, iniciou uma viagem pelos primórdios da história da maçonaria. A sua presença em vários capítulos da história do nosso país, bem como a ostracização e proibições a que foi sujeita ao longo dos tempos, pelo poder (monarquia e república) e pela própria igreja. Chamou no entanto a atenção apara a sua contextualização em cada um dos cerca de 300 anos de história.
O que é facto é que se pode verificar que membros destacados da maçonaria portuguesa, como militares, advogados, industriais ou políticos, foram elementos activos em várias ocasiões e muitas vezes colocados em órgãos de poder. Se bem que, na sua génese, esteja o seu ritual de iniciação, perante um livro sagrado de qualquer religião, e os seus símbolos como o avental, esquadro ou compasso, e sempre o não revelar o que se passa nas lojas ou triângulos, bem como deixar de lado as questões políticas.
A fundação do Grande Oriente Lusitano deu-se em 1801, no palácio Gomes Freire de Andrade ao Calvário e foi presidida por José Joaquim Monteiro de Carvalho e Oliveira, por ter o grau de Cavaleiro escocês.
Aliás como destacou o Prof. António Ventura, a Maçonaria Inglesa, foi o pilar de toda a maçonaria (que se divide em Lojas e Triângulos) que se estendeu pelo norte da Europa e periferia, e passou para o outro lado do Atlântico. No entanto, o historiador discorda que a Grande Loja Maçónica Inglesa se possa arvorar em “vaticano” da maçonaria, voltando de novo ao conceito da sua contextualização.
Só na parte final da sua intervenção, António Ventura se referiu à maçonaria a nível do distrito (principio século XX), destacando as lojas (sete mestres) de Portalegre e Elvas e alguns triângulos (três mestres) a nível de concelhos como Arronches, Avis, Ervedal, Barbacena, Fronteira, Gavião, Ponte de Sor, Galveias e Sousel. Estes triângulos não tinham continuidade porque, bastava a saída de um dos seus membros para ser extinto.

As três figuras do Triângulo nº 169 de Monforte



Quanto às referências sobre Monforte, elas consistiram num triângulo que nasceu na herdade da Revenduda, na Freguesia de São João da Ribeira no concelho de Sousel em 1869, através do agricultor Mariano Moreira da Costa Pinto, que viria a falecer em Torre de Palma.
João Duarte de Oliveira era outro dos seus mestres, um universitário de Coimbra, nascido em Cebolais de Cima/Castelo Branco e que foi médico municipal em Monforte e subdelegado de saúde. Após a implantação da República, envolveu-se na política, apoiando António Sardinha na corrida ao poder local.
Finalmente o outro mestre do Triângulo de Monforte (nº 169) foi José Maria Pereira Moura, nascido em Monforte, lavrador que chegou a ser Provedor da Santa Casa de Misericórdia de Monforte, entre 1919-1958 e que viria a falecer a 14 de Setembro de 1960.



sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

1ª Sessão Ordinária da Assembleia Municipal de Arronches

Maria Emília Costa, Primeira Secretária da Assembleia Municipal de Arronches, faz constar através da publicação de edital que terá lugar no próximo dia 22 de Fevereiro (quarta-feira), pelas 21 horas, no edifício dos Paços do Município, a primeira sessão ordinária do ano em curso deste órgão autárquico, de acordo com a seguinte ordem de trabalhos: Período de antes da ordem do dia; Aprovação da acta da sessão anterior e leitura do expediente.
Período da ordem do dia: Reeleição da Mesa da Assembleia Municipal; Informação sobre a actividade municipal, situação financeira do Município e processos judiciais pendentes, seguindo-se o período aberto ao público.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Arronches "Terra dos Porcos", lenda ou realidade

A edição de Fevereiro do Notícias de Arronches, traz às suas páginas este tema: "Arronches Terra dos Porcos". Quisemos saber onde termina a lenda… ou começa a realidade. Até que ponto Arronches por ser conhecida por este epíteto, pode significar que, em torno do porco de raça alentejana, assente a economia local.
Saímos ao encontro daqueles que nos podiam revelar um pouco mais sobre esta matéria. Uma edição a não perder. Esteja atento e fique a saber um pouco mais, do que significou e significa, a produção do porco de raça alentejana para o Concelho de Arronches.